Slimani fora do Coritiba! Relembre estrangeiros de ‘grife’ que não vingaram no Brasil

ÚLTIMAS NOTÍCIAS






Foto: Gabriel Thá/Coritiba




Slimani rescindiu contrato com o Coritiba e irá defender KV Mechelen, da Bélgica. O atacante, que joga pela seleção da Argélia, chegou com pompa ao Coxa e foi recepcionado pela torcida no aeroporto, teve desempenho abaixo das expectativas. Ele é um de vários estrangeiros de “grife” que tiveram passagem sem brilho no futebol brasileiro. Relembre a seguir casos famosos! – Foto: Gabriel Thá/Coritiba


Foto: Gabriel Thá/Coritiba




Alejandro Martinuccio – Meia-atacante que se destacou no vice-campeonato do Peñarol na Libertadores de 2011, foi contratado pelo Fluminense em transação polêmica (o Palmeiras dizia ter pré-contrato com o argentino). Fez apenas 15 partidas e um gol com a camisa do Tricolor. No Brasil, jogou também por Cruzeiro, Coritiba e Chapecoense. – Foto: Nelson Perez/Fluminense


Foto: Nelson Perez/Fluminense




Bryan Ruiz – Destaque na campanha histórica da Costa Rica na Copa do Mundo de 2014 ao lado do goleiro Keylor Navas, o meio-campista teve uma passagem pífia pelo Santos em 2018. Fez apenas 13 partidas e ainda gerou um processo judicial para o Peixe. – Foto: Ivan Storti/Santos FC


Foto: Ivan Storti/Santos FC




Cristian Rodríguez – Meio-campista campeão da Copa América de 2011 pelo Uruguai e com duas Copas do Mundo na bagagem teve uma passagem-relâmpago pelo Grêmio em 2015. Cebollla Rodriguez, apelido pelo qual ficou conhecido, entrou em campo apenas duas vezes pelo Tricolor e ficou 60 dias no clube. – Foto: Lucas Uebel/Grêmio FBPA


Foto: Lucas Uebel/Grêmio FBPA




Freddy Adu – Atacante ganês naturalizado norte-americano surgiu como uma das grandes promessas do futebol mundial, a ponto de ser descrito como “novo Pelé”. Após peregrinar por vários clubes, chegou ao Bahia em 2013. No Tricolor de Aço atuou apenas 130 minutos. – Foto: Divulgação/Bahia


Foto: Divulgação/Bahia




Ignacio Scocco – Atacante que destacou-se pelo Newell’s Old Boys e defendeu a seleção argentina, foi contratado com alarde pelo Internacional em 2013. Em campo, foram apenas 21 partidas e míseros quatro gols (dois deles no jogo de estreia). – Foto: Alexandre Lopes/Internacional


Foto: Alexandre Lopes/Internacional




Johnny Herrera – Goleiro apelidado de “Superboy”, foi contratado pelo fundo MSI para defender o Corinthians em 2006, após a saída de Fabio Costa. O chileno fez apenas nove partidas pelo Timão e tomou 13 gols. – Foto: Divulgação/Corinthians


Foto: Divulgação/Corinthians




Juan Castillo – Goleiro que defendeu a seleção uruguaia foi apresentado pelo Botafogo em 2008. Após uma série de falhas, perdeu a titularidade para Renan e deixou o clube no ano seguinte. – Foto: Divulgação


Foto: Divulgação




Juanfran – Campeão europeu com a seleção espanhola em 2012, o lateral-direito chegou ao São Paulo em 2019 com o status grandioso pela trajetória no Atlético de Madrid comandado por Simeone. Porém, fez apenas 56 partidas pelo Tricolor paulista e não balançou as redes nenhuma vez. – Foto: Rubens Chiri/São Paulo


Foto: Rubens Chiri/São Paulo




Keisuke Honda – O japonês vestiu a camisa do Botafogo em 2020. Com três Copas do Mundo e trajetória por clubes importantes da Europa, como CSKA Moscou e Milan, o atacante fez 37 gols em 98 partidas e admitiu em nota oficial que o período no Glorioso não foi o esperado: “As críticas são naturais e não estou dando desculpas, eu também me decepcionei, eu sinto muito”. – Foto: Vitor Silva/Botafogo


Foto: Vitor Silva/Botafogo




Juan Carlos Henao – O goleiro destacou-se na surpreendente campanha do título do Once Caldas na Libertadores de 2004 – a equipe de Manizales, na Colômbia, passou por Santos, São Paulo e Boca Juniors. No ano seguinte, transferiu-se para o Peixe, onde sua passagem foi um completo fiasco: quatro partidas apenas. – Foto: Divulgação/Santos


Foto: Divulgação/Santos




Matías Defederico – Argentino foi contratado pelo Corinthians em 2009 com status de “novo Messi”. O meio-campista, que chegou a atuar no Timão ao lado de Ronaldo Fenômeno, fez somente 36 partidas no clube paulista. – Foto: Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians


Foto: Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians




Miguel Borja – O atacante colombiano foi contratado pelo Palmeiras por 10,5 milhões de dólares em 2017 após marcar cinco gols em quatro jogos na reta final da Libertadores do ano anterior, levando o Atlético Nacional ao título. No Verdão, fez 36 gols em 112 jogos e foi emprestado antes de ser vendido ao Junior Barranquilla. – Foto: Cesar Greco/Palmeiras


Foto: Cesar Greco/Palmeiras




Salomon Kalou – Atacante que defendeu a Costa do Marfim em duas Copas do Mundo teve desempenho apagado pelo Botafogo em 2020. Multicampeão pelo Chelsea, incluindo Premier League e Champions, o jogador marfinense fez um gol em 27 jogos e não deixou saudades na torcida alvinegra. – Foto: Vitor Silva/Botafogo


Foto: Vitor Silva/Botafogo




Ledesma – Meio-campista ítalo-argentino, com passagem vitoriosa de nove temporadas na Lazio, atuou pelo Santos em apenas quatro partidas (234 minutos ao todo) em 2015 e gerou custo de R$ 1 milhão ao clube. -Foto: Ivan Storti/Santos FC


Foto: Ivan Storti/Santos FC




Maxi Biancucchi – Famoso por ser primo de Lionel Messi, o atacante argentino fez 69 jogos com a camisa do Flamengo entre 2007 e 2009 com brilho eventual, como em um Fla-Flu, mas quase sempre amargando o banco de reservas. No Brasil, defendeu também Bahia, Ceará e Vitória. – Foto: Divulgação/Flamengo


Foto: Divulgação/Flamengo




Mariano Trípodi – Atacante argentino que foi artilheiro e promessa da base do Boca Juniors, foi contratado pelo Santos em 2008 em pacote que tinha ainda o colombiano Molina, o chileno Sebástian Pinto e o equatoriano Jackson Quiñonez. Fez apenas 15 partidas e um gol com a camisa alvinegra. Depois, jogou em inúmeros clubes brasileiros, como Vitória, Atlético Mineiro, Vitória e Caxias (foto). – Foto: Divulgação/Caxias


Foto: Divulgação/Caxias




“Pato” Abbondanzieri – Goleiro tricampeão da Libertadores pelo Boca Juniors teve uma tímida passagem pelo Internacional em 2010. Foi titular com Jorge Fossati, mas Celso Roth, sucessor do técnico uruguaio, o relegou a terceira opção na meta colorada. – Foto: Divulgação/Internacional


Foto: Divulgação/Internacional




Sebá Domínguez – Zagueiro argentino chegou ao Corinthians no pacote de astros com Mascherano e Tevez em 2005. Na época, o clube paulista era gerido pelo fundo MSI, do iraniano Kia Joorachian. Ao contrário dos compatriotas, sua passagem não deixou saudades no Timão. – Foto: Reprodução/Instagram


Foto: Reprodução/Instagram




Schiavi – Zagueiro bicampeão da Libertadores pelo Grêmio, não conseguiu o mesmo sucesso com a camisa do Grêmio. Defendeu o clube gaúcho em 2007, sob o comando de Mano Menezes, e logo saiu para o Newell’s Old Boys. – Foto: Divulgação/Grêmio


Foto: Divulgação/Grêmio




Diariamente o Terra traz conteúdos para você se manter informado. Acesse o site e nos siga nas redes.


Foto: Gabriel Thá/Coritiba



Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *