Nathan Fernandes larga na frente como substituto de Soteldo no Grêmio.

GRÊMIO



Everton Silveira / Grêmio FBPA/Divulgação

Apesar de manter a primeira colocação com a vitória sobre o Avenida, no sábado (3), e alcançar esta sequência de êxitos no Gauchão, a atuação nos Eucaliptos fez o Grêmio sair sob críticas. Nomes como Reinaldo, Cristaldo e João Pedro Galvão novamente apresentaram um baixo desempenho, enquanto coletivamente a equipe pouco produziu.
Salvou-se Nathan Fernandes, que definiu o placar aos 34 minutos e fez seu segundo gol com a camisa gremista. Ele é quem sai na frente para ser o substituto de Soteldo, que ficará afastado por lesão pelo menos até abril.
— O Nathan esteve bem. Conversamos bastante na preleção. Quando está com a bola precisa acelerar, como foi o gol, da maneira que eu pedi. No intervalo a perna inchou com um tostão. Eu sei que quando esfria a perna começa a doer. Saiu e coloquei sangue novo — disse Renato Portaluppi após o jogo.
 O técnico concordou que a equipe enfrentou dificuldades, porém ponderou uma série de fatores como justificativa, inclusive a iluminação do estádio.
— Sequência de viagens, jogadores no DM, campo e iluminação ruim. Vamos enfrentar essas dificuldades. Não adianta exigir bom futebol. O mais importante é conquistar as vitórias e continuar na liderança — destacou o técnico gremista.
Diante do Avenida, foram seis mudanças no time titular. Além da ausência de Soteldo, Renato optou por preservar Marchesín, Geromel e Kannemann da viagem, enquanto Pepê entrou no segundo tempo e Fabio ficou no banco. Enquanto os reforços não chegam, a tendência é que o treinador siga realizando observações com as opções que estão disponíveis no elenco em jogos fora de casa.
Nesta terça (6), contra o Novo Hamburgo, e depois no sábado, contra o São Luiz, o Grêmio fará dois jogos na Arena. Sem as dificuldades de viagem e adversidades dos gramados do Interior, Renato deve apostar na força máxima. A dúvida persiste no centro do ataque, já que a intenção de aproveitar mais André Henrique foi travada pela lesão do jogador contra o Juventude, o que obriga uma sequência para João Pedro Galvão.
— No campo, ele (João Pedro Galvão) não aparece para os torcedores, mas aparece para o time, briga pela bola e se cobra nos treinos. Claro que se espera gols do centroavante. Mas muitos não sabem por que ele vem jogando. Por exemplo, o André poderia jogar. Mas ele saiu com a perna machucada no último jogo, foi no sacrifício. Era nem para estar aqui — explicou Renato.
 





Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *