Copa da Ásia têm encontro entre atual campeão e ‘zebra’ do campeonato

INTERNACIONAL


Neste sábado (10) será realizada a final da Copa da Ásia às 12h (horário de Brasília) no Lusail Stadium em Doha, Catar.

A partida conta com duas equipes com trajetórias impressionantes ao decorrer da competição, por um lado o atual campeão e donos da casa, o Catar. Já pelo outro lado, a ‘zebra’ da competição que busca título inédito.

Em busca do bicampeonato

Em 2019, o Catar surpreendeu a Ásia e a Oceânia ao chegar na final da Copa da Ásia, além do fator de chegar tão longe nesta edição, mas o que chamou mais a atenção foi ter vencido por 3 a 1 o gigante da Ásia, o Japão.

Entretanto, a vitória no torneio não refletiu na Copa do Mundo e os Marrons tiveram uma campanha totalmente decepcionante como anfitriões da Copa do Mundo de 2022, perdendo todas as partidas na fase de grupos. A situação criou a imagem do país não ter um futebol tão relevante.

Mas nesta edição, a seleção comandada pelo espanhol Tintín Márquez quis reverter essa imagem e mostrar a sua sede por mais um título asiático.

O Catar foi líder disparado no grupo A e invicto durante o processo, com 9 pontos e 5 gols marcados, além de ter a melhor defesa sem ter nenhum gol em suas redes. Já no mata-mata, os catari enfrentaram a Palestina, Uzbequistão e por fim o Irã, cotados como um dos favoritos da edição.

Seleção do Catar celebrando vaga na final | Qatar Football Association/Divulgação
Seleção do Catar celebrando vaga na final | Foto: Qatar Football Association/Divulgação

 

Provável escalação: Barsham; Ro-Ro, Lucas Mendes, Mukhtar e Waad; Gaber, Fatehi, Al-Haydos e Ahmed; Almoez Ali e Akram Afif. 

Técnico: Tintín Márquez

Em busca de um título inédito

A Jordânia, berço de grandes civilizações ao longo da história como os babilônios e sumérios, chega como a ‘zebra’ da copa após eliminar a Coréia do Sul de Son Heung-Min por 2 a 0.

Os Nashamas tiveram uma trajetória mais complicada, ficando em terceiro colocado do grupo E. Já no mata-mata impressionaram os espectadores com uma virada heroica nos acréscimos contra o Iraque por 3 a 2.

Nas quartas, um gol contra fez a seleção sobreviver no torneio em cima do Tajiquistão, vencendo por 1 a 0.

Um país mesmo com o futebol sendo esporte mais popular do país, sem ter tanto desenvolvimento como em outros países e a maioria de seus jogadores desconhecidos, fez os holofotes ficarem voltados para eles em sua melhor campanha na história da competição.

Foto: Jordan FA/Divulgação
Foto: Jordan FA/Divulgação

 

Provável escalação: Abulaila; Nasib, Al-Arab e Marei; Haddad, Al-Rashdan, Al-Rawabdeh e Abu Hasheesh; Al-Taamari e Olwan; Al-Naimat.

Técnico: Hussein Ammouta



Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *