Por que o hino do Grêmio é o mais bonito do mundo? Confira a origem

GRÊMIO


portaldogremista.com.br com o gremio onde o gremio estiver descubra a historia por tras do hino lupicinio rodrigues compositor do hino do gremio
Imagem: Lance!/Reprodução

Grêmio já teve 3 hinos em sua homenagem

Fundado em 15 de setembro de 1903 por um grupo de 32 jovens que se reuniram na atual rua José Montaury, em Porto Alegre, o Grêmio conta com três hinos em sua vitoriosa história. O hino do Tricolor, escrito em 1953 pelo renomado compositor porto-alegrense Lupicínio Rodrigues, não foi a primeira música em homenagem ao clube. Antes, nas décadas de 20 e 40, o Imortal teve outros dois hinos

Primeiro hino

Bem antes de Lupicínio Rodrigues compor a canção que embalaria as comemorações dos títulos do Tricolor Gaúcho a partir de 1953, o jornalista Isolino Leal foi o responsável pelo primeiro hino do time gaúcho. Em sua obra, o também poeta exaltou valores como o heroísmo, a raça, honra, virilidade e a força gremistas.

Vibre em nós a luz da energia
Que dá fulgor e faz heróis
Músculos de aço e varonia
Nos façam da pátria áureos sóis

Do sul ao norte
Nos seja prêmio
A fé no Grêmio
Invicto e forte!

Segundo hino

Mais de 20 anos depois, coube a Brenno Blauth a missão de compor um novo hino para o Tricolor em 1946. Dessa vez, de forma encomendada pela diretoria do clube através de um concurso. Segundo Carlos Eduardo Santos, coordenador do Museu do Grêmio, o futuro maestro venceria a disputa com apenas 16 anos de idade.

Abram alas, abram alas
Lá vem o quadro tricolor
Nós estamos confiantes
No nosso Onze de valor

Nosso time da baixada
Não tem receio de nenhum
Pois a bola vai ao golo
E a torcida quer mais um

Viva o Grêmio, Viva o Grêmio
Não ganhará o jogo em vão
De conquista em conquista
Vai ser de novo campeão

Terceiro hino: o atual

Uma das passagens mais marcantes do hino é sua abertura, com a imponente e célebre frase “até a pé nós iremos”. Essa frase não apenas evoca uma determinação inabalável, mas também presta homenagem aos torcedores que, em um gesto de devoção incomparável, caminharam para acompanhar uma partida contra o Cruzeiro-RS em meio à primeira greve de ônibus e bondes de Porto Alegre.

Outro detalhe fascinante é a menção à faixa com os dizeres “com o Grêmio onde o Grêmio estiver”, presente nos jogos do Tricolor desde 1946. Essa é mais uma demonstração do vínculo indissolúvel entre os torcedores e o clube, uma conexão que transcende as barreiras do tempo e do espaço.

Em resumo, o hino do Tricolor é muito mais do que uma simples canção. É um testemunho da paixão e do comprometimento dos torcedores, uma celebração da história e da identidade do clube. E mesmo com o passar dos anos, sua mensagem continua ressoando nos corações de todos aqueles que têm o Imortal como parte essencial de suas vidas.

 

Imagem destaque: Divulgação/ GFBPA



Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *